17/06/2021 às 17h17min - Atualizada em 17/06/2021 às 17h17min

Camtur deixa conselhos municipais reclamando de “falta de valorização” e de “ações medíocres” do Governo Caio

“Nossa participação não apresenta resultado... não queremos ser coniventes com do Governo”, disse o presidente do Conselho das Associações de Tupã e Região

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
Imagem de Arquivo/Visão Noticias de Marília
 
As principais lideranças de entidades tupãenses filiadas ao Conselho das Associações de Moradores de Tupã e Região (Camtur), Federação das Associações Comunitárias do Estado de São Paulo e a Confederação Nacional das Associações de Moradores Renunciando suas participações em conselhos municipais de políticas pública.
 
Em 24 de maio foram entregues ofícios a secretaria de Promoção Social, Patrícia Fernandes, pedido a exclusão dessas entidades do conselho dos Direitos da Mulher e Conselho Municipal de Habitação e Interesse Social.
 
E segundo o presidente do Camtur, Luís Alves de Souza, o objetivo é abrir mão de outros conselhos conforme decidido em reunião das lideranças do movimento comunitário.
 
A saída, segundo ele, se dá pela falta de resolutividade dos referidos conselhos: “O Governo Caio, infelizmente não tem valorizado o trabalho dos conselhos de política pública; nós entendemos que a nossa participação não apresenta resultado... E nesse sentido nós não queremos ser coniventes com as ações medíocres do Governo”, justificou o presidente do Camtur.
 
HABITAÇÃO
 
Luís Alves cita um exemplo prático bem atual que é a expansão imobiliária na cidade. “No caso da habitação, são várias chácaras sendo abertas, vários loteamentos e conjuntos habitacionais e que teriam que passar pelo crivo do Conselho Municipal de Habitação e isso, infelizmente não tem acontecido”.
 
Também na habitação Alves lembra durante todo o tempo de mandato de Caio Aoki sequer houve a nomeação desse conselho: “Agora que tem a possibilidade de ser nomeado um conselho, mas as associações já abrem mão”.
 
“O Conselho dos Direitos da Mulher também não tem apresentado trabalhos efetivos nos últimos anos, então infelizmente não há necessidade da participação das associações”, completou o presidente do Camtur.
 
OUTROS
 
Luís Alves lembra que o papel dos conselhos é ouvir as demandas da sociedade em cada setor, e defender os interesses da sociedade; e ao mesmo tempo contribuir com o Governo Municipal.
 
E através de um trabalho voluntário gratuito, onde os conselheiros de políticas públicas não recebem nenhum centavo pela sua participação. “O mínimo que se espera é a valorização desse trabalho, que na atual gestão, infelizmente não vem acontecendo”.
 
ESPORTES
 
Alves aponta também “falta de transparência, lisura e interesse” da gestão pública reside no Conselho Municipal de Esportes, onde a última nomeação ocorreu em 11 de março de 2013, por meio do Decreto 7.089. “Ou seja, lá se vão oito anos que nós não temos um Conselho Municipal de Esportes”.
 
Ele acrescenta ainda que os conselhos não podem ser apenas “carimbadores” dos interesses do Governo. “Não pode ser um órgão legalizador de ações políticas... para cumpri apenas uma legislação; é muito mais que isso”.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

20.6%
14.7%
64.7%