06/07/2021 às 13h44min - Atualizada em 06/07/2021 às 13h44min

EXCLUSIVO: Secretário vai a Câmara explicar gastos com a covid, em sessão fechada com vereadores, no dia 12

Audiência acontece quase dois meses após a primeira cobrança feita pelo vereador tucano Paulo Henrique Andrade

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
Imagem do Facebook
 
Depois de quase dois meses de cobranças, ao menos três reuniões pessoais, e alguns discursos e alertas durante as sessões, feitos pelo vereador Paulo Henrique Andrade (PSDB), o secretário municipal de finanças da Estância Turística de Tupã, Everton Nakashima, vai a Câmara na próxima segunda-feira, 12/07, para explicar, em detalhes, os gastos com a covid-19 do governo Caio Aoki e Renan Pontelli.
 
Em reuniões individuais com Andrade, o secretário até adiantou aos montantes gastos com determinados itens e serviços, mas as informações, na visão do vereador, não foram suficientes.
 
FECHADA
 
A sessão da próxima segunda-feira, prevista para começar às 15h, será fechada aos vereadores, e nela, segundo Andrade, espera-se, o secretário Nakashima apresente detalhes mais pormenorizados dos gastos do dinheiro recebido do Ministério da Saúde para o enfrentamento da covid.
 
Segundo Paulo Henrique, a opção de realização de uma reunião exclusiva para o tema, foi escolha dos próprios vereadores: “Os próprios vereadores preferem assim, até mesmo para que eles possam entender”, informou.
 
Paulo Henrique voltou a defender que as dúvidas sobre os referidos gastos tem sido alvo de cobranças constante por parte da população – a todos os vereadores – e é preciso que ele seja o mais detalhado possível.
 
“O secretário até me disse quanto foi gasto com exames, EPIs, cestas básicas, e outros itens, mas é preciso que saber o quanto foi pago por cada uma desses itens, quando comprados e quantos usados, onde estão os estoques remanescentes, o que foi comprado com licitação e sem licitação (já que a pandemia permitia) e não tenho dúvida de que a força de todos os vereadores será importante para chegarmos ao melhor resultado dessa sabatina”, ponderou Andrade.

NOTA DA REDAÇÃO
 
Ao mesmo publicamente, apesar de ser da base do governo (filiado ao partido do vice-prefeito) o vereador Paulo Henrique Andrade, foi o único a cobrar as informações sobre esses gastos.
 
Aliás, para maioria da Câmara e praticamente toda a imprensa local, até hoje essa cobrança era dita como um “assunto proibido”, comportamento certamente fruto das “boas relações” com a gestão municipal ou seus mandatários.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

20.0%
14.3%
65.7%