13/08/2021 às 08h17min - Atualizada em 13/08/2021 às 08h17min

Pescadores voltam a denunciar mortandade de peixes no Rio Feio

Principal suspeita é de que a mortandade, novamente identificada em Luiziânia, tenha sido causada pelo derramamento de vinhaça em afluentes do Aguapeí

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
Peixe morrendo asfixiado nas águas do Rio Aguapeí, em Luiziânia (Imagens cedidas pelo leitor N.J.)
 
O misto de protesto, denúncia e pedido de providencias é feito por um grupo de três pescadores da microrregião de Tupã, habituado à prática da pesca amadora, com vara de bambu, nas águas do Rio Feio no município de Luiziânia.
 
Segundo eles, os sinais de degradação da vida no rio vêm de algum tempo, com a pesca cada vez mais escassa, mas no último domingo, após várias tentativas, o grupo começou a perceber e fotografar alguns peixes boiando nas águas do Aguapeí.
 
“De manhã a gente não estava pegando nada; aí quando foi nesse domingo (08/08), logo de manhã cedo já vimos traíra morta e alguns piau também mortos na beira do rio. A gente ficou o dia inteiro e não pegou nada; ultimamente não está pegando. Aí nós retornamos outem (11/08), e outra vez, encontramos lá mais piau e traíra mortos; e quando foi a tarde, na beira do rio, mais peixe boiando morto. Não é muito peixe, mas está morrendo, e desce o rio toda hora. Alguma coisa está acontecendo e a gente gostaria que (quem de direito) tomasse uma providência, por favor. Obrigado”, disse em áudio pelo WhatsApp, o trabalhador rural N.J., que pediu para não ser identificado.
 
Ele e os companheiro enviaram as imagens que estão anexadas a essa reportagem, mostrando os exemplos de peixes, de vários tamanhos, e espécies mortos nas águas do Rio Feio.
 
PONTE DE CIMENTO
 
N.J. contou que o local onde foram feitas essas imagens e observados muitos outros peixes boiando, tem acesso pela estrada do Bairro Marco Oito (em Herculândia) para a cidade de Luiziânia.
 
“Da ponte de cimento para baixo. Começou no dia oito (08) domingo cedo. Depois a gente viu o dia inteiro acontecendo esse fato aí. E depois foi ontem, quarta-feira, dia 11, também; algumas traíras e piaus já mortas e alguns peixes descendo a correnteza, boiado em morrendo. A gente fica triste. Precisa tomar uma providência”.
 
VINHAÇA
 
Os autores da reclamação também afirmam acreditar – com reforço de informações demoradores da região – que a mortandade de peixes seja resultado a ação do produto chamado de Vinhaça ou Vinhoto.
 
“Outras vezes isso já aconteceu por aqui e agora estaria acontecendo novamente, com o descarte desse Vinhoto em pequenos córregos que desaguam no Rio Feio e no Tibiriçá”, disse N.J.
 
O Cidade Real está encaminhando a reclamação dos pescadores à Polícia Militar Ambiental para fiscalização, notifica e/ou encaminhamento a autoridade a qual compete a investigação e punição para este tipo de ação de agressão ao meio ambiente.
 
WIKIPÉDIA.ORG
 
Vinhoto, vinhaça, tiborna ou restilo é o resíduo malcheiroso que resta após a destilação fracionada do caldo de cana-de-açúcar (garapa) fermentado, para a obtenção do etanol (álcool etílico). 
 
Para cada litro de álcool produzido, cerca de 13 litros de vinhoto são deixados como resíduo, que pode se apresentar na forma liquida ou pastosa,
 
Quando jogado nos rios constitui uma séria fonte de poluição. Pode, no entanto, ser aproveitado como fertilizante ou na produção de biogás.
 
Também pode ser empregado na lavoura como substituto de fertilizantes, ou na pecuária como complemento de alto teor proteico da ração animal.
 
Algumas usinas de açúcar e álcool aplicam vinhaça em mais de 70% da sua área de cultivo de cana de açúcar.
 
A vinhaça interfere no sistema respiratório, pois causa coagulação da mucosa das brânquias, que reduz o consumo de oxigênio dissolvido, ocasionando, assim, asfixia dos peixes.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

20.6%
14.7%
64.7%