17/08/2021 às 10h55min - Atualizada em 17/08/2021 às 10h55min

Dig prende grupo especializado no golpe do catalisador

Segundo a polícia, ‘minerais valiosos’ que fazem parte do sistema de catalisação estão despertando o interesse a ação dos golpistas

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
O material dos 15 catalisadores apreendido em Promissão (Policia Civil)
 
Policiais civis detiveram, nessa segunda-feira, 16/08, em Lins, três moradores em Santo André (na região da Grande São Paulo), acusados da prática de estelionato e associação criminosa.
 
O trio foi preso após enganar o proprietário de um veículo GM/Corsa e retirar o catalisador do escapamento do automóvel e levou a equipe da Delegacia de Investigações Gerais (Dig) a um grupo especializado.
 
Os policiais conseguiram, no andamento das apurações, localizar em uma casa na cidade de Promissão, que servia de abrigo aos detidos, mais 15 sacos contendo catalisadores que já haviam sido retirados de outros veículos, e que foram todos apreendidos.
 
O proprietário do Corsa suspeitou e acionou a Polícia Civil, que foi ao local e flagrou os indivíduos, que já estavam com o catalisador do Corsa em uma sacola plástica.
 
ALTO VALOR
 
De acordo com a polícia, o valor de alguns minérios existentes nos catalizadores tem feito aumenta o número de casos do gênero.
 
O catalisador funciona como transformador de gases poluentes em ‘compostos seguros’ para serem liberados na atmosfera, durante o uso do carro.
 
Esses materiais valiosos estão dentro de uma cápsula de aço inoxidável, em uma colmeia cerâmica envolta em camadas de metais nobres, como paládio, platina ou ródio.
 
E são eles que produzem a reação química e a atenuação do efeito poluente, do monóxido de carbono, antes de liberar os gases e a fumaça do escapamento do carro, no ar.
 
Por causa do alto valor destes minérios, aumentou muito o furto de catalisadores, que, segundo a polícia, acabam sendo vendidos no mercado paralelo.
 
OUTROS GOLPES
 
Também esta semana, a polícia de Lins registrou um boletim de ocorrência no qual consta que um homem de 73 anos, sofreu um prejuízo de R$ 13,4 mil.
 
Ele caiu no golpe aplicado por estelionatário que se fez passar por funcionários de instituição bancária.
 
Em Guaiçara, outra cidade da microrregião de Lins, o dono de um supermercado perdeu R$ 2.120,00.
 
Ele recebeu uma mensagem, via WhatsApp do telefone do proprietário de uma empresa de energia solar, de Garça, dizendo que estava precisando de dinheiro e pedindo que ele adiantasse os valores que teria de pagar até o final do mês.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

20.0%
14.3%
65.7%