22/10/2021 às 17h43min - Atualizada em 22/10/2021 às 17h43min

PARTICIPAÇÃO FEMININA - Desde 1948, Câmara de Tupã teve apenas 10 vereadoras

Números refletem a minúscula participação da mulher tupãense na política; a pioneira foi Cacilda do Carmo Lentini Elias, em 1983

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
Telma Tulim, no estúdio da SPPlay - Divulgação
 
A pequena participação da mulher na política partidária tupãense foi um dos destaques da entrevista, da última quinta-feira, 21/12, no programa ‘Manhã de Notícias’, pela plataforma SPPlay, no Facebook.
 
O tema foi tratado na entrevista da ex-vereadora (por quatro mandatos) e delegada de polícia aposentada, Telma Tulim, atual dirigente regional do PSD Mulher, o braço feminino de mobilização do Partido Social Democrático.
 
Assista a íntegra da entrevista clicando no link abaixo
https://www.facebook.com/tvspplay/videos/587461879044254
 
Na entrevista Telma falou de sua vida, da carreira profissional, iniciada por importantes empresas de Tupã, como a Granol, e que seguiu na Polícia Civil, como escrivã e depois como delegada.
 
Aposentada na Polícia Civil, a ex-vereadora apresentou no decorrer da entrevista, o dado surpreendente que prova o quanto foi pequena, no decorrer de toda a história de Tupã, a participação da mulher, pleiteando, disputando e se elegendo para mandatos legislativos.
 
SÓ 10
 
Levantamento apresentado por ela mostra que Tupã teve, desde o início das atividades da sua Câmara, em 1º de janeiro de 1948, apenas 10 mulheres eleitas para cadeiras do Legislativo.
 
A pioneira foi Cacilda do Carmo Lentini Elias, eleita em 15 de novembro de 1982 e que exerceu seu primeiro mandato entre 1º de janeiro de 1983 e 31 de dezembro de 1988 – à época mandato tampão de seis anos, coincidente com a promulgação da nova Constituição nacional.
 
Detalhe importante: a posse da primeira mulher eleita para a Câmara de Tupã, ocorreu depois de 35 anos constituição do município, na 9ª Legislatura.
 
Cacilda se reelegeu em 15 de novembro de 1988, para seu segundo mandato (10ª Legislatura), entre 1º de janeiro de 1989 e 31 de dezembro de 1992, entretanto, ela faleceu em oito (08) de setembro de 1991 – 15 meses antes do encerramento do seu segundo mandato.
 
SEGUNDA
 
A representante do distrito de Universo, Rosângela Gutierrez Ciorlin, foi a segunda mulher a ocupar uma cadeira da Câmara de Tupã, na 11ª Legislatura, entre 1º de janeiro de 1993 e 31 de dezembro de 1996 – eleita em três (03) de outubro de 1992.
 
Na 12º legislatura, o eleitorado de Tupã elegeu, para mandato entre 1º de janeiro de 1997 e 31 de dezembro de 2000, Maria Neves Nogueira e Paulete Tânia da Silva, além de garantir a primeira suplência para Cristina Peregrino Morales Ponce.
 
Para a 13º Legislatura, entre 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004, pela primeira vez, foram eleitas três mulheres para a Câmara: Maria Aparecida Santos Mocelli, Paulete Tânia da Silva (reeleita) e Telma Tulim.
 
NENHUMA
 
Na 14º Legislatura, entre 2005 e 2008, após 21 anos seguidos, a Câmara de Tupã não teve nenhuma representante feminina.
 
Elas voltaram ao Legislativo em 2009 com duas mulheres. Além da então delegada Telma Tulim, a população de Tupã também elegeu a pediatra Maria Lucília de Sampaio Mattos Donadelli, o Drª Lucília, com a maior votação de um legislador em toda a história de Tupã.
 
Nos dois mandatos seguintes, 16ª e 17ª legislaturas, apenas a então tucana Telam Tulim foi reeleita sucessivamente, entre 1º de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2020.
 
E na eleição do ano passado, para a 18ª Legislatura da Câmara de Tupã, mais duas mulheres – para mandato até 31 de dezembro de 2024 – Claudia Aparecida da Silva, a Claudinha do Povo e Cristina dos Reis Fernandes, a Professor Cris Vicente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

22.7%
11.4%
65.9%