25/10/2021 às 13h04min - Atualizada em 25/10/2021 às 13h04min

Ao invés de limpar e manter, Neto manda demolir banheiro público do Jardim São Matheus

Vereador Nenê promete recorrer ao Ministério Público para que prefeito explique porque demolir o banheiro ao invés de limpá-lo e mantê-lo ao uso da população

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
Imagens printadas de vídeos cedidos por Everson Cilas Pereira
 
Depois de anos de abandono, com interdição parcial (porta arrombada) e sujeira, sem servir a população, a polêmica sobre o banheiro público da praça do Jardim São Matheus em Rinópolis, teve um fim inusitado nesta segunda-feira, 25/10.
 
Sem qualquer explicação ao vereador que denunciou o descaso e pediu uma limpeza e a manutenção do local, ou ainda a imprensa que vem acompanhando a aberração ocorrida no local, o banheiro foi demolido, como se isso resolvesse a demanda da população que frequenta a praça e especialmente a população católica que frequenta a Igreja católica local.
 
Aos olhos de alguns populares e com o uso de uma retroescavadeira, a pequena construção foi colocada abaixo, ao que consta sem qualquer laudo, de conhecimento público, que pudesse atestar riscos de desabamento ou qualquer coisa do gênero e justificar a destruição.
 
Também se qualquer informação pública de que haja projeto da construção de novos sanitários no local.
 
O vereador Everson Cilas Pereira, o Nenê (Podemos), lamentou a decisão da parta da gestão Neto e Nanci, primeiro em não conseguir manter o banheiro limpo, e depois em mandar demolir uma construção, sem qualquer razão técnica aparente.
 
“Tudo foi comprado com dinheiro dos nossos impostos e aí, ao invés do prefeito colocar uma pessoa para fazer manutenção e fazer a limpeza, simplesmente, ele optou em demolir toda a estrutura do banheiro... É assim que limpa, que se preserva um banheiro público. Demolir resolve o problema, né?... Que esperar de um prefeito desse. Isso mostra o interesse dele com a população do jardim São Matheus... se a praça vai ter banheiros, ou se não vai ter. Essa é a preocupação do prefeito com nosso bairro. Cada um tire a sua própria conclusão”, afirmou Nenê, em novo vídeo postados nas redes sociais, a pos a demolição.
 
DENÙNCIA
 
A decisão de demolir o sanitário, que segundo o próprio prefeito José Ferreira de Oliveira Neto (PSDB), estava interditado havia ao menos 10 anos, foi tomada após uma postagem no Facebook, feita pelo vereador Nenê, na sexta-feira, 15/10, e reproduzida por nós, sobre o abandono e a sujeira que predominavam no local.
 
Relembre a denúncia de Nenê:
https://cidadereal.net/noticia/458/vereador-denuncia--estado-absurdo--de-banheiros-do-jardim-sao-mateus
 
Moradores da vizinhança disseram que a interdição não tem 10 anos, uma vez que no local funcionou, por algum tempo, até cerca de três (03) anos, aproximadamente, uma lanchonete tipo trailer, cujos frequentadores faziam uso do referido sanitário.
 
Uma semana após a denúncia original, o mesmo vereador Nenê postou, na sexta-feira, 23/10, novo vídeo reiterando a falta de limpeza e conservação do local e cobrando uma solução da gestão Neto e Nanci; postagem outra vez, reproduzida em reportagem pelo Cidade Real.
 
Releia a reportagem:
https://cidadereal.net/noticia/474/praca-do-sao-matehus-neto-admite-banheiro-desativado-ha-10-anos-mas-ainda-nao-sabe-o-que-fazer-com-ele
 
SEM LAUDO
 
Nenê disse nesta segunda-feira, 25/10 que é estranho a demolição repentina de um bem público, sem qualquer amparo técnico como laudo de apontamento de risco ou a existência de projeto para a construção de um novo banheiro para a praça do Jardim São Matheus.
 
“Falei com os dois engenheiros: o que se aposentou recentemente e o outro que foi contrato por ele, e recebi a resposta de que não há nenhum laudo atestando risco, que justifique a demolição. Não se trata de propriedade particular do prefeito que ele destrói quando bem entender. É um bem público, feito com dinheiro dos nossos impostos – da população – e que está sujeito as regras da lei. O prefeito terá que se explicar, ainda que tenhamos que recorrer ao Ministério Público. Isso é birra política e uma falta de respeito com a população e comigo, porque não digo amém a vontade dele e cobro mesmo o que é de direito do povo”, comentou Nenê, prometendo tratar o caso, com mais detalhes na sessão ordinária da Câmara, na noite desta segunda-feira, 25/10.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

22.7%
11.4%
65.9%