09/11/2021 às 11h17min - Atualizada em 09/11/2021 às 11h17min

Distritos de Universo e Varpa seguem com ‘situação de risco’ para a dengue

Segundo a Avaliação de Densidade Larvária de outubro último, índice é quase o dobro do registrado na cidade e em Parnaso

Com a Assessoria de Imprensa
Redação Cidade Real
Agente aplica larvicida em ralo de quintal (Imagens cedidas pela Assessoria de Imprensa)
 
Os distritos de Universo e Varpa, com índices de infestação respectivamente de 4,56 e 4,46, são os bairros da Estância Turística de Tupã com situação mais preocupante em relação ao mosquito da dengue, segundo o último levantamento de ADL (Avaliação de Densidade Larvária), realizado em outubro pelo Departamento de Entomologia e Endemias.
 
Anualmente, o levantamento precede o período de maior concentração de chuvas e calor (Verão) quando os níveis da presença de larvas e do próprio mosquito podem aumentar, se não houver um trabalho preventivo.
 
“É importante ressaltar que o aumento da infestação com a proximidade dos tempos mais chuvosos é comum, mas com as equipes preparadas adequadamente não deixaremos que os índices e os casos aumentem”, disse Marco Antônio de Barros, o Marquinho da Dengue, chefe do Departamento de Endemias, ao divulgar o resultado do novo levantamento.
 
Segundo ele, a situação pode ser considerada menos grave no distrito de Parnaso, com índice de 2,64, ainda assim, como no restante da cidade, com níveis que apontam condição de ‘alerta’, uma espécie de nível intermediário de risco.
 
TABELA
 
De acordo com a Secretaria de Saúde, a tabela de risco entomológico aponta condição satisfatória para índices de até ‘1’; ‘alerta’ para níveis entre 1 a 3,9; e acima desses 3,9, ‘situação de risco’.
 
Conforme Barros, a avaliação apontou Tupã com índice de 2,4, o que, apesar de todo o trabalho de combate e prevenção, como se refere a própria tabela de classificação, ainda deixa a cidade em ‘alerta’ para a possibilidade de aumento de infestação, o que é comum pelas condições climáticas do período de Verão.
 
Concluída a tabulação dos dados, as equipes iniciaram os trabalhos de intensificação nos bairros que apontaram altos índices de infestação, na busca por eliminar os possíveis criadouros para o mosquito Aedes aegypti.
 
Segundo Marquinho, as equipes iniciaram esse trabalho pelo Jardim América, com índice de 2,8 e no Jardim Guanabara, com 1,8, operação que se estenderá por toda cidade com prioridade para os bairros de maior índice e com histórico preocupante de infestação em anos anteriores.
 
RESULTADOS
 
“O trabalho de eficiência dos agentes pode ser notado na redução dos casos de janeiro a outubro deste ano em comparação com o mesmo período de 2020. A redução aponta 73,14%, faltando apenas 2 meses para finalizarmos o ano”, apontou o secretário municipal de Saúde, dermatologista Miguel Ângelo e Marchi.
 
“Além de todos os trabalhos cotidianos realizados pelos agentes do departamento e agentes comunitários, precisamos cuidar dos nossos quintais e não deixar o ambiente propício para criadouros do mosquito. Pedimos para que todos sigam as orientações passadas pelos agentes durante as visitas e não deixem que novos casos da doença apareçam”, lembrou o vice-prefeito Renan Victor Pontelli (PSDB).
 
O prefeito Caio Aoqui (PDS) reforçou que o cenário da dengue em Tupã está controlado, mas apenas permanecerá assim com a colaboração de todos.
 
“Precisamos nos unir e fazer o trabalho de cada agente valer a pena. Podemos evitar o aparecimento de novas infestações com pequenos cuidados dentro de nossos quintais, como não deixar pelo quintal materiais que possam acumular água, colocar areia nos vasinhos de plantas ou abrir buracos na parte debaixo dos pratinhos para que a água possa escorrer, virar as bocas de garrafas para baixo, entre outras ações simples e que podem ser realizadas por todos”, disse Caio.
 
ÍNDICES
 
Desde a volta ao comando do trabalho de combate à dengue, de Marco Antônio Barros, os números apresentaram redução significativa.
 
Em que pese o fato das pessoas com mais tempo em casa, por causa da pandemia (teoricamente, indicar um cuidado maior com os quintais), 2020 e 2021 tiveram estatísticas impressionantes.
 
Depois do disparate de 6.245 casos (com ao menos seis mortes) em 2019 – o que foi de considerável peso para a cassação do mandato do ex-prefeito José Ricardo Raymundo (PV), no ano passado o índice caiu para pouco mais de 10% - com 658 infectados.
 
E neste ano, para o período de janeiro a outubro, faltando apenas dois meses para terminar o ano, o número de contaminações confirmadas por dengue parou em 173 (queda de 73,14% para 2020) – o que, ao menos em tese, aponta para um número bem inferiores ao final de 2020.
 
“Temos – como Departamento – feito a nossa parte, com um trabalho incansável de todos os servidores, apoio total do nosso secretário, Dr. Miguel, do prefeito Caio, do vice-prefeito Renan, mas precisamos para que essa situação de controle se mantenha, que cada morador dê a sua colaboração. Se cada uma ajudar a cuidar do próprio quintal, não tenho dúvida que isso se manterá e até avançaremos”, finalizou Marco Antônio de Barros.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita na lisura e integridade da urna eletrônica, e da Justiça Eleitoral (responsável pela manipulação da urna eletrônica)?

22.7%
11.4%
65.9%