16/12/2021 às 13h37min - Atualizada em 16/12/2021 às 13h37min

Após 9ª morte do ano e ‘pressão’, Prefeitura e PM prometem esforços para melhorar o trânsito

Maior fiscalização em horários de pico, campanhas de conscientização, semáforos ou radares e pedido de ajuda as autoescolas estão na lista para 2022

Nilton Mendonça
Redação Cidade Real
A mesa da reunião realizada para tratar sobre o trânsito de Tupã (Cedida pela Assessoria do vereador Du do Serv Festa)
 
Na semana seguinte a mais acidente fatal – segundo a Polícia Militar o 9º só em 2021 – o trânsito de Tupã voltou a ser alvo de uma ‘mesa de discussões’ por autoridades do Executivo Municipal e Polícia Militar (PM).
 
Apenas o vereador Eduardo Alexandre Sanchez, o Du do Serv Desta (Podemos) representou a Câmara Municipal, no encontro (na foto acima) para o qual a imprensa não foi chamada – ao menos o Cidade Real não foi.
 
A reunião foi uma resposta a mais um abaixo-assinado feito por moradores e usuários da avenida Marília, após a morte recente de um entregador de 21 anos de idade, além de denúncias do ‘estado’ da referida via, especialmente nos chamados horários de pico.
 
RELEMBRE NOS LINKS ABAIXO
https://cidadereal.net/noticia/514/sem-fiscalizacao-transito-da-marilia-segue-sendo-um--paraiso-da-desordem-
 
https://cidadereal.net/noticia/521/numero-de-multas-de-transito-em-tupa-cresceu-15-em-plena-pandemia
 
Também foi imediata ao registro da nona morte do ano, na avenida Tabajaras, onde a motociclista Diva Moreira, de 51 anos, ao fazer uma ultrapassagem pela direita, caiu da moto e foi atingida por um ônibus da Prefeitura.
 
INFORMAÇÕES
 
Na reunião liderada pelo secretário de Planejamento, Obras e Trânsito, Valentim Cesar Bigeschi e o comandante da 2ª Cia. da Polícia Militar, Capitão PM André Wander Zambelli, diversas medidas foram apresentadas para serem colocadas em prática a partir do início de 2022.
 
Segundo o casal José Luis e Marlene Medeiros (que liderou o último abaixo assinado, com cerca de 200 adesões, pedindo providências para a avenida Marília) uma das providências será uma reunião com proprietários e dirigentes de autoescolas.
 
A ideia é pedir um reforço do setor que prepara motoristas e motociclistas quando a questão do respeito as regras de trânsito, uma vez que a maioria dos acidentes, de qualquer gravidade, envolve algum tipo de negligência de condutores e pedestres às regras legais do trânsito.
 
MAIS GUARDAS
 
Também no encontro, as autoridades, assumiram o compromisso de aumentar a fiscalização nos trechos de maior movimento e mais propensos a acidentes, especialmente nos horários de pico.
 
Bigeschi teria repetido a dificuldade pelo número insuficiente de agentes de fiscalização de trânsito e prometido para o início do ano que vem, a realização de um para o aumento do efetivo da Guarda Municipal.
 
CAMPANHAS E RADARES
 
Também ficou definido no encontro, conforme Medeiros, a intensificação de campanhas de conscientização nas redes sociais e meios de comunicação local, visando fortalecer a orientação, os esclarecimentos e a conscientização de condutores, pedestres e outros atores do cotidiano do trânsito.
 
O secretário Valentim admitiu também estudos para a instalação de equipamentos de semáforos ou radares de controle de velocidade em pontos críticos.
 
Entretanto, neste caso, segundo ele, haverá necessidade de investimento de recursos que o município não dispõe, sendo necessária a providência de emendas parlamentares, para a aquisição dos referidos equipamentos.
 
Segundo o Casal Medeiros, a expectativa das autoridades é agilizar o quanto antes algumas dessas providências, no sentido de que até o próximo ‘maio amarelo’ (movimento internacional pela redução da mortalidade no trânsito), ruas e avenidas de Tupã tenham movimento mais disciplinado e bem menos violento.
 
Somente durante o ano de 2021, de acordo com dados divulgados pela Polícia Militar, foram registradas nove (09) mortes no trânsito de Tupã – a maioria em locais “manjados” como Tamoios, Brasil, Marília e Tabajaras.
 
DA REDAÇÃO
 
Como se percebe, as sugestões colocadas à mesa são exatamente as mesmas que vem sendo defendidas ano-após-ano pela população usuária, bem como a Câmara Municipal.
 
Medidas completamente desprovidas de qualquer ‘característica de milagre’ que poderiam, colocadas em prática nos últimos anos, quem sabe até ter evitado algumas das nove mortes de 2021.
 
Cada vez é maior da convicção de que, como já defendia o professor e advogado Mauro Guerra Eduardo, ex-secretário da Educação, além de toda a fiscalização e aparato técnico e sinalização, a Educação de Trânsito deve ser disciplina regular nas escolas de ensino básico, fundamental e médio.
 
Cadê por exemplo o projeto “Pé na faixa, pé no freio”?

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »