07/01/2022 às 17h04min - Atualizada em 07/01/2022 às 17h04min

A quem interessa os cargos para nomeação sem concurso na Prefeitura de Tupã? A mim garanto que não!

Capitão Neves - Suplente de Vereador pelo PSD
 
Meus amigos! Confesso-me pasmo com a forma obstinada que a administração Caio e Renan tem ‘guerreado’ na Justiça e fora dela, na defesa do ‘pacotão’ de 104 cargos comissionados recém aprovado (com apenas um voto contra – praticamente de forma unânime) pela Câmara Municipal – aliás, na calada de 2021, ao soar os sinos do Natal e do Ano Novo.
Mas a pergunta que não pode calar está no título desse artigo de opinião. A quem mais interessa essa centena de janelas para favores políticos, senão ao Prefeito Caio e seus ‘assistentes legisladores’ – os vereadores (as) eleitos (as) pelo povo de Tupã?
A atual gestão alega não ter dinheiro (e parece não ter tempo) para melhorar o trânsito da cidade (Avenida Marília e outras); para manter as estradas rurais e vias da periferia (com exceção do recape de alguns trechos de ruas com empréstimo bancário); para corrigir de forma satisfatória os ganhos dos servidores; para os cuidados com as praças púbicas; para as melhorias nos nossos distritos; para as esperadas ações de apoio aos nossos pequenos empreendedores no pós-pandemia; para a geração de empregos, enfim: tudo que se discute a resposta é a mesma! Mas há dinheiro para bancar mais de 100 apadrinhados, compinchas e protegidos do prefeito, vice-prefeito e seus ‘parças políticos’.
Não sei o destino que esse descalabro terá na Justiça, mas de antemão afirmo publicamente, que embora seja filiado e eleito suplente de vereador pelo partido de Caio (PSD), com votos de 465 tupãenses, não aceito e repudio qualquer possibilidade de fazer parte dessa vergonha. Quer seja em cargo nomeado ou negociata para assumir com ‘cartas marcadas’ uma futura ‘vacância por acomodação’ na Câmara Municipal.
Vemos, com espantoso e negligente silêncio da maior parte da sociedade, uma dita ‘reforma administrativa’ que abre 104 ‘suspeitas possibilidades’ de Caio e Renan, ‘ajeitarem as coisas’ ainda mais, com a Câmara Municipal e outros grupos e pessoas que o apoiaram publica e secretamente na última eleição! E olha que é perigoso faltar cargos para tanta dívida eleitoral! Acessível (para não dizer de pernas arreganhadas) ao ‘toma lá dá cá’, essa atual Câmara demonstrou – no primeiro ano de gestão – que está.
Capitão Neves está fora do joguinho que, infelizmente os vereadores de Tupã adoram – e nem os ‘novatos’ (sempre uma esperança de melhora) foram capazes de fazer diferente. Os velhacos já sabemos quem são e do que são capazes.
Certamente se passar na peneira da Justiça, essa ‘farra com o dinheiro público’ possibilitará generosas ‘indicações de favor’ por toda parte.
 
SILÊNCIO INCÔMODO!
 
Para finalizar, incomoda, em relação a esse tipo de politicagem, o silêncio das ‘tais forças de oposição’. Homens e mulheres que bateram à nossa porta na época da eleição de 2020 – criticando, xingando, cobrando e pedindo nosso voto, com caminhões de promessas e conceitos teóricos mil – e no restante do tempo se comportam como se os problemas de Tupã e esse tipo de agressão ao coletivo não lhes dissessem respeito. Se omitem, se acovardam e que se dane a comunidade.
Sem distinção, pseudo líderes de todo e qualquer partido ou grupo que tem representação na Câmara Municipal e, ou não, e parece, à espera de ‘uma boquinha’ no esquema Caio e Renan.
Essa sensação de que os 15 vereadores e vereadoras da atual Câmara tenham sido eleitos por um mesmo partido ou coligação, oculta mais que um ‘incômodo silêncio’ de eleitos, líderes e partidos.
Esconde uma espécie simples de tramoia onde os que deveriam servir e melhorar a vida e as condições da comunidade, só fazem para o próprio bem (e de seus apaziguados) e os escolhidos para fiscalizar em nome da população, se beneficiam em troca da ‘harmonia entre os poderes’ e (agora com tantos novos cargos disponíveis) do famoso ‘qi’ – quem indica.
Quanto a mim, eles já sabem disso (razão pela qual me querem bem longe), mas repito publicamente: estou fora e vou combater a política que não colocar o bem-estar da população em primeiro plano.
Está avisado. Jamais me terá como seu serviçal, prefeito Caio Aoki! Você e quem quer que seja!
Minha formação acadêmica, familiar, de vida e profissional, experiência (suficiente para ter sido chamado de volta ao Exército), ética e postura social e comunitária falam por mim.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »